Das políticas às ações

: direitos da pessoa idosa no Brasil

  • Andréia Queiroz Ribeiro DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE/ UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
  • Simone Martins Departamento de Administração e Contabilidade da Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Envelhecimento; Protagonismo; Política do Idoso; Direitos

Resumo

As mudanças no perfil populacional sinalizam desafios e requerem ações transformadoras para o combate à discriminação etária e para um envelhecimento ativo, saudável, cidadão e sustentável. O objetivo do presente artigo é realizar uma análise dos estudos sobre as temáticas “envelhecimento” e “Política do Idoso” no Brasil, a partir de levantamento bibliográfico em periódicos nacionais, indexados no Portal Periódicos Capes nos últimos cinco anos, e compreender como os resultados desses estudos dialogam com os marcos legais voltados à promoção e proteção dos direitos das pessoas idosas no Brasil. Conclui-se que o tema envelhecimento requer que se viabilize, nas agendas políticas, mecanismos e instrumentos para que se efetivem as ações propostas pelo conjunto dos marcos legais. É necessário, ainda, criar condições para que a pessoa idosa seja protagonista nas discussões e deliberações políticas de seu interesse.

Referências

REFERÊNCIAS
AFONSO, L.E. Um estudo dos aspectos distributivos da previdência social no Brasil. 2003. 124p. Tese (Doutorado em Economia). Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia e Administração, São Paulo, 2003.
ALVES-SILVA, J.D.; SCORSOLINI-COMIN, F.; SANTOS, M.A. Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Psicologia: Reflexão & Critica, v.26, n.4, p.820-831, 2013.
ANTONUCCI, T.C.; FUHRER, R.; DARTIGUES, J.F. (1997). Social Relations and Depressive Symptomatology in a Sample of Community- Dwelling French Older Adults. Psychology and Aging, v.12, n.1, p. 189-195, 1997.
AZEVEDO FILHO, E.R.; CHARIGLIONE, I.P.F.S.; SILVA, J.T.C.; VALE, A.M.S.; ARAÚJO, E.K.H.S.; SANTOS, M.F.R. Percepção dos idosos quanto aos benefícios da prática da atividade física: um estudo nos Pontos de Encontro Comunitário do Distrito Federal. Revista Brasileira de Ciências do Esporte [no prelo] 2018.
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução Luis Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011, 297p.
BRASIL. Constituição da República Federativa, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988. 63p. Disponível em: https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_08.09.2016/CON1988.pdf. Acesso em: 29 ago. 2018.
_________. Lei n. 8.842, de 04 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Brasília: 1994. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8842.htm. Acesso em: 28 ago. 2018.
_________. Decreto n. 4.227, de 13 de maio de 2002. Cria o Conselho Nacional dos Direitos do Idoso - CNDI, e dá outras providências. Brasília: 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/D4227.htm. Acesso em 28 ago. 2018.
_________. Lei n. 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília: 2003. Disponível em: http://www.
planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm. Acesso em: 28 ago. 2018.
_________. Política Nacional de Assistência Social – PNAS/2004. Norma Operacional Básica - NOB/SUAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Brasília: 2005a. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/PNAS2004.pdf. Acesso em 30 ago. 2018.
_________. Presidência da República. Subsecretaria de Direitos Humanos. Plano de Ação para o Enfrentamento da Violência Contra a Pessoa Idosa / Presidência da República. Subsecretaria de Direitos Humanos. – Brasília: Subsecretaria de Direitos Humanos. 2005b.
_________. Ministério de Saúde. Portaria n. 2528/GM, de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília; 2006a. Disponível
em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/
prt2528_19_10_2006.html. Acesso em: 20 ago. 2018.
_________.Lei nº 11.433, de 28 de dezembro de 2006. Dispõe sobre o Dia Nacional do Idoso. Brasília: 2006b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11433.htm. Acesso em: 08 set. 2018.
_________. Decreto no 8114/2013. Estabelece o Compromisso Nacional para o Envelhecimento Ativo e institui Comissão Interministerial para monitorar e avaliar ações em seu âmbito e promover a articulação de órgãos e entidades públicos envolvidos em sua implementação. Brasília: 2013a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/decreto/d8114.htm. Acesso em: 03 set. 2018.
_________. Guia de Políticas, Programas e Projetos para a População Idosa. Compromisso Nacional para o Envelhecimento Ativo. Brasília: 2015, 109p. Disponível em: https://sbgg.org.br//wp-content/uploads/2014/10/1436207288 _Guia_de_poli_ticas_ pu_blicas_2015.pdf. Acesso em: 03 set. 2018.
_________. Decreto nº 9.122, de 9 de agosto de 2017. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções de Confiança do Ministério dos Direitos Humanos, remaneja cargos em comissão e funções de confiança e substitui cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores - DAS por Funções Comissionadas do Poder Executivo - FCPE. Brasília: 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/D9122.htm. Acesso em 03 set. 2018.
_________. Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa. Documento técnico. Caminho para o envelhecimento ativo, saudável, cidadão e sustentável. Processo de integração de políticas públicas para que comunidades e cidades se tornem mais amigas da pessoa idosa. I. Ministério do Desenvolvimento Social, 2018, 33p. Disponível em: https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/Brasil_Amigo_Pesso_Idosa/Documento_Tecnico_Brasil_Amigo_Pessoa_Idosa.pdf. Acesso em: 28 ago. 2018.
BRITO F. A transição demográfica no Brasil: as possibilidades e os desafios para a economia e a sociedade. Texto para discussão no 318. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2007. 28p.
CAMARANO, A.A.; PASINATO, M.T. O Envelhecimento Populacional na Agenda das Políticas Públicas. In: CAMARANO, A.A. Os Novos Idosos Brasileiros: Muito além dos 60? IPEA: Rio de Janeiro, 2004, p. 253-292.
CAMPOS, A.C.V.; FERREIRA, E.; VARGAS, A.M.D. Determinantes do envelhecimento ativo segundo a qualidade de vida e gênero. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n.7, p. 2221-2238, 2015.
CASTRO, A.P. de; GUILAM, M.C.R.; SOUSA, E.S.S.; MARCONDES, W.B. Violência na velhice: abordagens em periódicos nacionais indexados. Ciênc. saúde coletiva vol.18 no.5. Rio de Janeiro Maio, 2013.
CASTRO, M.R.; LIMA, L.H.R.; DUARTE, E.R. Jogos recreativos para a terceira idade: uma análise a partir da percepção dos idosos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 38, n. 3, p. 283-289, 2016.
CERQUEIRA, M.B.R.; RODRIGUES, R.N. Fatores associados a vulnerabilidade de idosos vivendo com HIV/AIDS em Belo Horizonte (MG), Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n.11, p. 3331- 3338, 2016.
COSTA, J.S. Repercussões do envelhecimento populacional para as políticas sociais. Argumentum, v. 6, n.1, p. 133-152, 2014.
COSTA, J.M.S.; MOURA, W.E.M.; CAMPOS, J.C.; DE SA PIMENTA, T.; FRANCA, J.S. A prevenção da depressão em idosos institucionalizados no hospital Santo Antônio dos Pobres de Itaperuna-RJ. Acta Biomedica Brasiliensia, v. 3, n.1, p. 52-62, 2012.
DAWALIBI, N.W.; GOULART, R.M.M.; PREARO, L.C. Fatores relacionados a qualidade de vida de idosos em programas para a terceira idade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 8, p. 3505-3512, 2014.
FAGUNDES, K.V.D.L.; ESTEVES, M.R.; RIBEIRO, J.H.M.; SIEPIERSKI, C.T.; DA SILVA, J.V.; MENDES, M.A. Instituições de longa permanência como alternativa no acolhimento das pessoas idosas. Revista de Salud Pública, v.19, n. 2, p. 210-214, 2017.
GORDIA, P. A.; QUADROS, B. M. T., VILELA JUNIOR, V. B. G., SOUZA, A. E., CABRAL C.; MORAIS, B. T., QUADROS JUNIOR, P. K., & CAMPOS, W. Comparação da qualidade de vida de mulheres idosas praticantes e não praticantes de exercício físico. Efdeportes: Revista Digital, ano 11, n. 106 [online]. 2007. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd106/mulheres-idosas-praticantes-de-exercicio-fisico.htm. Acesso em: 03 set. 2018.
GROISMAN, D. Envelhecimento, direitos sociais e a busca pelo cidadão produtivo. Argumentum, v. 6, n. 1, p. 64-79, 2014.
GUIMARÃES, A. C. A.; SCOTTI, A. V.; SOARES, A.; FERNANDES, S.; MACHADO, Z. Percepção da qualidade de vida e da finitude de adultos de meia idade e idoso praticantes e não praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 15, n.4, p. 661-670, 2012.
IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Síntese de Indicadores 2009.2010, 2010.
_________. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Características gerais dos domicílios e dos moradores : 2017. (IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento (eds.).). Rio de Janeiro; 2018. 8p. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101566_informativo.pdf. Acesso em: 03 set. 2018.
MAGALHAES, K.A.; GIACOMIN, K.C.; SANTOS, W.J.; FIRMO, J.O.A. A visita domiciliaria do agente comunitário de saúde a famílias com idosos frágeis. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 12, p. 3787-3796, 2015.
MARTINS, A.B.; D'AVILA, O.P.; HILGERT, J.B.; HUGO, F.N. Atenção primária a saúde voltada às necessidades dos idosos: da teoria a pratica. Ciência & Saúde Coletiva, v.19, n.8, p.3403-14, 2014.
MARTINS, S. O Exercício da Democracia em Conselhos de Políticas Públicas. Tese de Doutorado (Administração). Universidade Federal de Minas Gerais, 2015, 373p.
MENDES, J.; SOARES, V.M.N.; MASSI, G.A.A. Percepções dos acadêmicos de fonoaudiologia e enfermagem sobre processos de envelhecimento e a formação para o cuidado aos idosos. Revista CEFAC, v. 17, n. 2, p. 576-585, 2015.
MS. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Orientações técnicas para a implementação de linha de cuidado para a atenção integral à saúde da pessoa idosa no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: 2017, 71p. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/13/Linha-cuidado-VERSAO-CONSULTA-PUBLICA-07nov2017.pdf. Acesso em: 04 set. 2018.
MIRANDA, L.C.V.; SOARES, S.M.; SILVA, P.A.B. Qualidade de vida e fatores associados em idosos de um Centro de Referencia a Pessoa Idosa. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n.11, p. 3533-3544, 2016.
MONTEIRO, E.C. O envelhecimento populacional e a prática da assistência social no Estado do Ceará: uma análise à luz da Política Nacional do Idoso. Kairós Gerontologia, v. 16, n. 1, p. 129-141, 2013.
MOREIRA, R.M.; SANTOS, C.A.S.; COUTO, E.S.; TEIXEIRA, J.R.B.; SOUZA, R.M.M.M. Qualidade de vida, saúde e política pública de idosos no Brasil: uma reflexão teórica. Kairós Gerontologia, v. 16, n. 1, p. 27-38, 2013.
MOURA, M.M.D.. VERAS, R.P. Acompanhamento do envelhecimento humano em centro de convivência. Physis, v.27, n.1, p.19-39, 2017.
NOTARI, M.H.A; FRAGOSO, M.H.J.M.M. A inserção do Brasil na política internacional de direitos humanos da pessoa idosa. Revista Direito GV, v.7, n.1, p.259-276, 2011.
OEA - Organização dos Estados Americanos. Convenção Interamericana sobre a Proteção dos Direitos Humanos dos Idosos. 2015. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/CAO_Idoso/Textos/Conven%C3%A7%C3%A3o%20Interamericana.pdf. Acesso em: 28 ago. 2018.
OLIVEIRA, M.R.; VERAS, R.P.; CORDEIRO, H.A.; PASINATO, M.T. A mudança de modelo assistencial de cuidado ao idoso na Saúde Suplementar: identificação de seus pontos-chave e obstáculos para implementação. Physis, v.26, n. 4, p. 1383-1394, 2016.
OMS – Organización Mundial de Salud. (Org.). Medición del grado de adaptación de las ciudades a las personas mayores: guía para el uso de los indicadores básicos. Centro de la Organización Mundial de la Salud para el Desarrollo Sanitario (Kobe, Japón), 2015.
PEDRAZA, D.F.; NOBRE, A.M.D.; ALBUQUERQUE, F.J.B; MENEZES, T.N. Acessibilidade às Unidades Básicas de Saúde da Família na perspectiva de idosos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 3, p. 923-933, 2018.
PINTO, F.N.F.R.; BARHAM, E.J.; DEL PRETTE, Z.A.P. Conflitos Interpessoais no Cuidado de Idosos: Importância das Habilidades Sociais do Cuidador. Paideia, v.26, n.64, p.161-170, 2016.
REIS, C.L.; KOETZ, L.C.E.; PÉRICO, E. Política Nacional do Idoso: percepção dos gestores e perfil dos idosos de um município de pequeno porte. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 29, n. 4, p. 496-505, 2016.
RODRIGUES, N.C. Política Nacional do Idoso - Retrospectiva Histórica. Estudos Interdisciplinares do Envelhecimento, v.3, p.149-158, 2001.
RONCON, J. Qualidade de Vida, Morbilidade Psicológica e Stress Familiar em Idosos Residentes na Comunidade. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 31, n. 1, p. 87-96, 2015.
SANTOS, M.I.P.O; GRIEP, R.H. Capacidade funcional de idosos atendidos em um programa do SUS em Belém (PA). Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n.3, p. 753-761, 2013.
SOUZA, A.A.C.; CAMPOS, K.; PANHOCA, I. Conhecimento e acesso de idosos ao Serviço de Geriatria de Mogi das Cruzes, SP. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 29, n. 4, p. 490-495, 2016.
VERAS, R.P.; OLIVEIRA, M. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n.6, p. 1929-1936, 2018.
WALTER, M.I.M.T. A dualidade na inserção política, social e familiar do idoso: estudo comparado dos casos de Brasil, Espanha e Estados Unidos. Opinião Pública, v. 16, n.1, p.186-219, 2010.
WHO - World Health Organization. (Org.). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Tradução Suzana Gontijo. Brasília: Organização Pan Americana da Saúde, 2005.
UN. NACIONES UNIDAS. Declaración Política y Plan de Acción Internacional de Madrid sobre el Envejecimiento 2002. 62p. Disponível em: https://social.un.org/ageing-working-group/documents/mipaa-sp.pdf. Acesso em: 25 ago. 2018.
_________..Department of Economic and Social Affairs, Population Division (2017). World Population Ageing 2017. 124p. Disponível em: http://www.un.org/en/development/desa/population/publications/pdf /ageing/WPA2017_Report.pdf. Acesso em: 03 set. 2018.
Publicado
2018-11-23
Como Citar
RIBEIRO, A.; MARTINS, S. Das políticas às ações. Revista Científica de Direitos Humanos, v. 1, n. 1, p. 58 a 81, 23 nov. 2018.